Course for mentor

This content is protected, please login and enroll course to view this content!
19 Comments
Andreiasofia
Posted on 15:27 - 17 de March, 2020

Na Suécia a Agência Nacional para o Ensino Superior tornou possível que mesmo instituições educacionais privadas, possam receber recursos oriundos da Universidade de Estocolmo que constituem fundos especiais para pessoas com deficiência.
Assim sendo as IES privadas e públicas, possam dar 0,15% do seu orçamento, que receberam do Estado, possa promover a assistência e o apoio a estudantes com deficiências sempre que for preciso.
Esta informação é do repositório da Universidade Aberta, de 2017.

    ESES Ctec
    Posted on 10:13 - 20 de March, 2020

    Obrigado pela partilha desta boa prática na Suécia. São práticas como estas que devem ser um exemplo para outros países.

    Muito obrigado,
    Mário José

LGomes
Posted on 21:48 - 18 de March, 2020

Uma boa prática existente em Portugal é o projeto “PLACES- Plataforma de Acessibilidade”. Este projeto é desenvolvido pela universidade do Porto e tem por objetivo de contribuir para um design que se quer cada vez mais universal, na base de um tutorial que disponibiliza orientações para a criação de documentos digitais acessíveis formatados em Word, PowerPoint e formato HTML para utilização na Web. Este projeto tem procurado divulgar o conhecimento dos instrumentos que as aplicações já disponibilizadas para promover a acessibilidade para todos e responder às necessidades dos diferentes utilizadores.

ESES Ctec
Posted on 10:08 - 20 de March, 2020

Muito obrigado Liliana pela tua partilha desta plataforma. Não conhecia esta boa prática de inclusão no mundo digital. Agora certamente será uma excelente ferramenta para a construção de conteúdos cada vez mais acessíveis e adaptados às necessidades de cada um.

Obrigado,
Mário José

andreiar
Posted on 16:04 - 24 de March, 2020

A Associação Portuguesa para as Perturbações do Desenvolvimento e Autismo de Coimbra (APPDA Coimbra) é uma Instituição Particular de Solidariedade Social, cuja missão passa por garantir respostas específicas e individualizadas a Pessoas Portadoras de Perturbações do Desenvolvimento e Autismo e suas Famílias, permitindo a sua autonomia e o exercício de uma cidadania plena.

    ESES Ctec
    Posted on 9:29 - 26 de March, 2020

    Muito obrigado Andreia pela partilha da APPDA Coimbra e da inclusão que acontece nessa Associação. Conheces algum tipo de inclusão no mercado de trabalho de jovens com DID (Dificuldades intelectuais e desenvolvimentais)? Seria muito importante partilhar essa inclusão.
    Muito obrigado,
    Mário José

andreiar
Posted on 13:39 - 3 de April, 2020

Organização dos espaços de acordo com o tipo de publico alvo. Por exemplo, deficientes visuais, a informação e localização dos objetos da sala de aula. Planear as aulas com mais recursos sonoros e lembre-se de chamar o estudante sempre pelo nome.

    ESES Ctec
    Posted on 14:40 - 6 de April, 2020

    Muito obrigado Andreia pela partilha.
    Essas estratégias que referencias-te são muito importantes para aplicar com pessoas invisuais.

goncalovitorino
Posted on 20:32 - 7 de April, 2020

Um exemplo de uma boa pratica de inclusão é o curso Emprego Apoiado (EA) no Instituto de Tecnologia Social do Brasil (ITS Brasil). Trata-se de uma metodologia para inserção no mercado de trabalho de pessoas com deficiência: física; visual; auditiva; intelectual; múltipla; Síndrome de Down e paralisia cerebral. Aplicável, também, para vítimas de violência doméstica, Ex toxicodependentes e pessoas desempregadas de longa duração.
Esta iniciativa surgiu nos E.U.A. na década de 80, e veio a contribuir para a inclusão dos indivíduos com deficiência no mercado de trabalho. O EA rompe as barreiras criadas pelos modelos tradicionais, que concebiam as pessoas com deficiência como incapazes, dependentes e inaptas para o mercado de trabalho.
Esta Metodologia assegura que as pessoas com deficiência tenham condições de participar e contribuir ativamente na sociedade. Promove acesso ao que antes lhes era negado: emprego competitivo, educação, lazer, utilização de transportes e participação social.
Mais informações sobre esta iniciativa disponíveis nos seguintes links:
http://itsbrasil.org.br/experiencias/projetos/pronas-emprego-apoiado/
http://itsbrasil.org.br/ead-ea/

    ESES Ctec
    Posted on 10:21 - 8 de April, 2020

    Muito obrigado Gonçalo pela partilha. É muito importante conhecer a realidade doutros países e trazer essas boas práticas para os nossos. A inclusão de pessoas com DID ou excluídas da sociedade no mercado laboral é muito importante, porque essas pessoas têm os mesmos direitos que nós. As pessoas com DID são muito profissionais no que fazer, dependentes e aptas para o mercado de trabalho, às vezes é necessário mostrar ou verificar mesmo um exemplo para entender estas situações.
    Continuação de um bom trabalho…

monicamendoncac
Posted on 9:38 - 13 de April, 2020

Associação Portuguesa de Deficientes – promove a igualdade e inclusão na sociedade. Assim como a participação em projetos anuais com variadas temáticas.

    ESES Ctec
    Posted on 16:21 - 14 de April, 2020

    Obrigado pela partilha. A inclusão na sociedade é fundamental para pessoas com DID…

adrianarodrigues
Posted on 19:37 - 14 de April, 2020

Exemplo de uma boa prática de inclusão de crianças com deficiência em Cabo Verde:

A Escola Básica Eugénio Tavares (EBET), situada num dos bairros mais populosos de Cabo Verde, apostou numa Educação integrada.
Em parceria com a AADICD abriu uma sala de trinta estudantes surdos acompanhados por dois professores que receberam formação para o efeito.
A Escola Eugénio Tavares tem proporcionado aos alunos surdos uma educação de qualidade e uma real integração na sociedade.
O processo de aprendizagem dos alunos surdos foi reforçado pela frequência da sala de recursos no período contrário às aulas. Esta dispõe de alguns materiais pedagógicos adaptados às necessidades das crianças surdas.
Com um forte envolvimento dos encarregados de educação, esta iniciativa tem possibilitado aos estudantes surdos o acesso e permanência no Ensino Básico e entrada no Ensino Secundário.

Dos efeitos desta boa prática, destacam-se:
1) As crianças surdas que antes estavam em casa sem a possibilidade de frequência no ensino básico têm agora a oportunidade de entrar no mundo da escola e da aprendizagem formal;
2) A interação das crianças surdas com as ouvintes e com a comunidade local tem diminuído o preconceito em relação às pessoas com deficiência;
3) A partilha entre os professores tem contribuído para uma maior e melhor compreensão do processo de aprendizagem do estudante surdo.

Fonte: BOAS PRÁTICAS EM EDUCAÇÃO INCLUSIVA DE CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA EM CABO VERDE. (2020). Retrieved 14 April 2020, from https://www.makingitwork-crpd.org/sites/default/files/2017-03/Cabo%20Verde%20-%20Boas%20praticas%20em%20educacao%20inclusiva%20de%20criancas%20com%20deficiencia.pdf

Beatriz
Posted on 4:12 - 15 de April, 2020

A Agência Europeia para Necessidades Especiais e Educação Inclusiva criada em 1996, é uma organização independente que conta com a participação de 31 países. Trabalham no sentido de assegurar sistemas educativos com melhor qualidade e mais inclusivos. Ao longo dos anos foram responsáveis por inúmeros projectos nos vários níveis de educação, sempre com a inclusão em mente.

https://www.european-agency.org/

    ESES Ctec
    Posted on 8:50 - 15 de April, 2020

    Muito obrigado pela partilha,
    É muito importante assegurar sistemas educativos para todos (mais inclusivos) e também com melhor qualidade.

simonlopes
Posted on 20:38 - 18 de April, 2020

A Alemanha foi um dos primeiros países a assinar a Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e o Protocolo Opcional a 30 de março de 2007, que foram ratificados a 24 de fevereiro de 2009. O Governo Federal alemão trabalha ativa e intensamente na implementação da Convenção a nível nacional. O objectivo é dar às pessoas com deficiência a possibilidade de participarem, em condições de igualdade, na vida política, social, económica e cultural, oferecer oportunidades iguais no ensino e no trabalho e proporcionar a todos os cidadãos uma vida autodeterminada numa sociedade sem barreiras. Um instrumento importante para a implementação da Convenção é o Plano de Ação Nacional do Governo Federal, de 2011, com um período de vigência de 10 anos, que abrange um amplo espectro de áreas de ação e um catálogo de medidas concretas. Vários Ministérios Federais, incluindo o Ministério Federal das Relações Externas, a maioria dos Estados Federados, assim como vários distritos, autoridades locais e cidades já apresentaram os seus próprios planos de ação. Por sua vez, os planos de ação e as medidas previstas servem de base para diversos projetos, campanhas e iniciativas que visam a inclusão de pessoas com deficiência na vida quotidiana, como na iniciativa para a inclusão no ensino e emprego ou no projeto “Barrierefreie Wahlen” (“Eleições sem barreiras”).
https://lissabon.diplo.de/pt-pt/themen/politik/un-behindertenrechtskonvention-pt/1698826

Pedro Amendoeira
Posted on 18:25 - 20 de April, 2020

A AAJUDE (Associação de Apoio à Juventude Deficiente) foi fundada no Porto, em 1982, com o esforço de um grupo de Pais, que precisavam de uma Escola que acolhesse os seus filhos. Tem como principal objetivo, projetar e maximizar as capacidades dos jovens com deficiência, promovendo inúmeras atividades neste sentido. Está, atualmente, sediada em Matosinhos.

Link: http://www.aajude.pt/index.php

Tatiana Mena
Posted on 0:37 - 21 de April, 2020

O projeto ISOLearn(Innovation and Social Learning for Higher Education Institutions), iniciado em setembro de 2014, e com a duração de dois anos, recebeu recentemente a sua avaliação final, por parte da Comissão Europeia, tendo recebido uma avaliação de 90 pontos, em 100 possíveis, apoiado no âmbito do programa ERASMUS+, tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade do Ensino Superior para pessoas com deficiência visual, auditiva, promovendo assim a sua inclusão. Este projeto procura caracterizar as práticas de Ensino Superior em Portugal, Eslovénia, Itália e Suécia.

Links:. https://repositorioaberto.uab.pt/handle/10400.2/6688
http://portal.uab.pt/projeto-isolearn/

Ricardo_pme
Posted on 15:10 - 23 de April, 2020

A organização mundial das nações unidas criou um programa de ação mundial para pessoas com deficiências com vários objetivos e finalidades.

A finalidade do Programa de Ação Mundial referente às Pessoas Deficientes é promover medidas eficazes para a prevenção da deficiência e para a reabilitação e a realização dos objetivos de “igualdade” e “participação plena” das pessoas deficientes na vida social e no desenvolvimento. Isto significa oportunidades iguais às de toda a população e uma participação eqüitativa na melhoria das condições de vida resultante do desenvolvimento social e econômico. Estes princípios devem ser aplicados com o mesmo alcance e a mesma urgência em todos os países, independentemente do seu nível de desenvolvimento.

pode ser consultado todos os objetivos e finalidades aqui:

https://www2.camara.leg.br/atividade-legislativa/comissoes/comissoes-permanentes/cdhm/comite-brasileiro-de-direitos-humanos-e-politica-externa/ProgAcMundPessDef.html

Leave a Reply